Keetmanshoop, mesossauros e babosas gigantes

Entre Hardap Dam e o Fish River Canyon fica Keetmanshoop, uma pequena cidade que tem em seus arredores algumas atrações, sendo os principais a Quivertree Forest e o Giant’s Playground, além de uma atração pouco conhecida: fósseis de Mesossauro.

OS FÓSSEIS
Vimos a placa sobre os fosseis no meio da estrada e resolvemos fazer o desvio breve pois tínhamos tempo, já que tínhamos saído bem cedo de Hardap Dam. Seguindo as indicações na estrada de cascalho chegamos à entrada de um fazenda, com uma pequena casinha pintada com dinossauros, souvenirs e… ninguém.

Usamos a mesinha do lado de fora da casinha para fazer um pequeno piquenique até surgir alguma pessoa ali, pois já estava na hora do almoço. Finalmente surgiu uma caminhonete e dela desceu um velhinho simpático, estilo europeu-que-se-mudou-para-a-áfrica, com a pele queimada e roupas de cores claras. Era Giel (se pronuncia Ril), o senhor holandês dono das terras por ali.

DSC00390-1

DSC00417-6

 

Giel conta que quando seu filho era criança descobriu o primeiro fóssil de mesossauro na propriedade enquanto brincava. A partir disso, Giel começou a buscar outros exemplares e achou vários fósseis na fazenda. Ele tentou contato com universidades da Namíbia, mas por falta de fundos não houveram estudos profundos, ele doou um exemplar para um museu e hoje a maioria dos fósseis ainda está espalhada por uma parte da fazenda, protegidos por pedaços de pedra e alumínio.

DSC00403-3DSC00418-4DSC00419-5

Mesossauros formavam um gênero extinto de dinossauro, subdividido em duas espécies e considerados um dos primeiros répteis aquáticos, que habitaram o Sul da África e parte da América do Sul durante a Era Paleozóica. A presença desses fósseis em formações rochosas semelhantes tanto na África quando na América do Sul ajuda a construir a teoria da Deriva Continental, que afirma que os continentes hoje separados por oceanos eram unidos em um super continente, chamado Pangeia pelo geólogo Alfred Wergener, autor da teoria. Hoje os fosseis de mesossauros são mais achados na Namíbia e no Brasil, na região de São Paulo.

DSC00484-8

QUIVERTREE AND DOLERITE FOREST
Ainda dentro da propriedade do Giel é possível visitar parte da floresta de Quivertrees, ou Aloé-aljavas, uma espécia de babosa que cresce como uma árvore, presente somente em algumas áreas da África. É uma planta muito resistente, que sobrevive a períodos de seca e à variação de temperatura, consegue crescer em terreno pedregoso, que é o caso na região, e pode chegar a 400 anos de idade.

DSC00436-13DSC00474-12

DSC00464-14
Textura de uma aloé-aljava.

 

As dolerites são formações rochosas que também se encontram na região, frutos de um fenômeno geológico que criou blocos de basalto que se empilham e se equilibram como se construídos. Isso rendeu ao local o apelido de Giant’s Playground, ou Parquinho dos Gigantes, pois dizem que as formações parecem blocos de brinquedo arranjados por gigantes. O Giant’s Playground fica oficialmente em outra fazenda, mas na do Giel a formação geológica continua, por isso achei uma forma mais tranquila de visitar a atração, já que éramos só nós.

DSC00456-1
Únicos visitantes da floresta dentro da propriedade do Giel.

Para se chegar à propriedade do Giel é preciso pegar a estrada C17 a partir da rodovia B1, perto de Keetmanshoop, e seguir as placas que indicam “Mesosaurus fossil”, é perto do Mesosaurus Fossil Bush Camp.

DSC00426-10DSC00416-7

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s